Início A Freguesia Património

Património

Enviar por E-mail Versão para impressão


Antiga muralha

Torre da Cadeia

Pormenor da antiga muralhaAntiga muralha (fortificação abaluartada) e vestígios do castelo de Arronches.

Os vestígios do castelo são hoje muito escassos, restando apenas uma torre a que chamam "Torre da Cadeia". De forma quadrangular e sem ameias, é da época da reedificação promovida por D. Dinis. Em redor da vila encontram-se ainda alguns vestígios das antigas muralhas, mas com reconstruções do séc. XVII.

Todo o aglomerado medieval se encontra no interior da fortaleza e é delimitado pelo próprio contorno da Fortificação Abaluartada.

A Fortificação Abaluartada pode ser definida como a fortificação à defesa com armas de fogo e que tem o baluarte como elemento caracterizante. Estão ausentes os torreões, as ameias e a torre de menagem medieval.  

A fortificação abaluartada, que envolve o antigo aglomerado medieval da vila de Arronches, não apresenta o seu perímetro amuralhado completo. Em algumas zonas desapareceu uma vez que, muitas casas, foram construídas aproveitando a própria estrutura da muralha.

No que diz respeito à técnica de construção, os troços de muralha existentes permitem-nos perceber que foi utilizada a técnica da "pedra seca", isto é, as pedras encontram-se aparelhadas umas às outras sem o recurso a argamassas de ligação. No entanto, em determinados pontos dos troços de muralha existentes, verifica-se que foi aplicado o cimento, como forma de preservação.

 

 

Igreja Matriz

Igreja Matriz de Arronches

 

Portal Manuelino da Igreja Matriz de ArronchesA Igreja Matriz, dedicada a Nossa Senhora da Assunção, fica situada junto dos paços do concelho. Substituiu, em meados do século XVI, o antigo templo gótico do padroado do mosteiro de Santa Cruz de Coimbra. Atribui-se ao prior dos Crúzios, S. Teotónio, a fundação desse templo.

O actual templo paroquial é de transição manuelino-renascença e de características regionais. Distribui-se, no seu interior, em corpo de três naves, com colunas toscanas suportando abóbadas à mesma altura, com nervuras e fechos armoriados dos escudos régios e da Ordem de Cristo.

 


Igreja e Convento de Nossa Senhora da Luz

Igreja de N.ª Sr.ª da Luz

 

Pormenor da Igreja de N.ª Sr.ª da Luz

Do convento de Nossa Senhora da Luz, dos Religiosos Agostinhos Descalços, situado na parte leste da vila restam ainda alguns motivos de interesse. Instituída em 1570, no sítio onde existia uma ermida da Senhora da Luz, a igreja conserva ainda exteriormente o pórtico, renascença, iluminado por medalhões de donatários, e o alpendre ou galilé, formada por arcos de volta redonda com colunas de granito e os respectivos cunhais. O tecto da galilé é todo ornamentado com nervuras e fechos. O pórtico principal, de mármore, é no estilo dos meados da Renascença, com bustos nos cantos, em medalhões, e rematado por um pequeno frontão conchado; o lateral, também de mármore, é porém mais simples.

 

Pormenor da Igreja de N.ª Sr.ª da LuzDo convento de Nossa Senhora da Luz, dos Religiosos Agostinhos Descalços, situado na parte leste da vila restam ainda alguns motivos de interesse. Instituída em 1570, no sítio onde existia uma ermida da Senhora da Luz, a igreja conserva ainda exteriormente o pórtico, renascença, iluminado por medalhões de donatários, e o alpendre ou galilé, formada por arcos de volta redonda com colunas de granito e os respectivos cunhais. O tecto da galilé é todo ornamentado com nervuras e fechos. O pórtico principal, de mármore, é no estilo dos meados da Renascença, com bustos nos cantos, em medalhões, e rematado por um pequeno frontão conchado; o lateral, também de mármore, é porém mais simples.
A torre sineira, à esquerda do edifício, é de forma cilíndrica rematada por uma pequena cúpula. O interior da igreja, de uma só nave, com capela-mor e duas capelas laterais está completamente desmantelado. As capelas laterais terminavam por cúpulas com zimbórios assentes em quatro conchas, e todas recamadas com altos relevos dispostos em compartimentos simétricos quadrangulares.

Na parte superior da capela-mor está um brasão de armas em esgrafito. No tecto do corpo da igreja vê-se um medalhão pintado, representando uma águia bicéfala com um coração trespassado por duas espadas e encimado por mitra e báculo. Na capela do lado do Evangelho, existe uma lápide, sobreposta por uma mitra, com uma inscrição comemorativa da instituição de uma missa quotidiana feita por Isabel Pires, em 1605.
Admire-se também a sala do capítulo, revestida de interessantes estuques, e o claustro, de galeria constituída por 24 sóbrias arcadas de pedra.

 

 


Edifício dos Paços do Concelho

Edifício dos Paços do Concelho

 

Antigo Brasão de ArronchesEm termos de arquitectura civil, realce-se o edifício dos paços do concelho, que remonta ao século XVI, tendo sofrido alterações nos dois séculos seguintes. A fachada possui ao centro o brasão da vila, que consta de um castelo com o escudo das quinas, onde se pode ler: "Estas são as armas desta nobre vila de Arronches".

 


 
Capela da Santa Casa da Misericórdia
A igreja da Santa Casa da Misericórdia é um edifício simples da metade do século XVI e que está situada à esquerda da igreja Matriz.O pórtico é de cantaria quinhentista e o seu interior de uma só nave de abóbadas com nervuras, noutro tempo decorada com pinturas e frescos.Mantém ainda o altar lateral de mármore policromado e dourado, do século XVI e é possuidora de uma torre sineira quadrangular com cúpula recortada.A igreja da Santa Casa da Misericórdia é um edifício simples da metade do século XVI e que está situada à esquerda da igreja Matriz. O pórtico é de cantaria quinhentista e o seu interior de uma só nave de abóbadas com nervuras, noutro tempo decorada com pinturas e frescos. Mantém ainda o altar lateral de mármore policromado e dourado, do século XVI e é possuidora de uma torre sineira quadrangular com cúpula recortada. Esta capela, que durante anos se encontrou profanada, foi reaberta e serve actualmente para velórios e missas. Adossada à capela encontra-se o edifício da Misericórdia, construído no século XVII, conservando ainda janelas das sacadas as primitivas grades de ferro forjado.

Igreja do Espírito Santo
Não existem estudos específicos, no que diz respeito à sua fundação e evolução na própria dinâmica da vila.

Igreja de Santo António
Situada junto à estrada de Campo Maior, praticamente integrada na nova zona habitacional do Bairro de Sto. António, propriedade de particular, de uma só nave com frescos de grande qualidade e em óptimo estado de conservação, portal de granito.

Igreja de Santa Luzia
Fica situada na margem direita da ribeira de Arronches, é propriedade de particulares, encontra-se transformada em casa de habitação, detendo cerca de quatro fogos. Completamente alterada, quer a sua fachada quer a fisionomia global, devido a diversas portas que abriram e chaminés que sustenta. O estado de conservação é razoável, todavia não para o fim para que fora destinada.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário
É uma pequena construção muito típica da igreja rural do século XVII. Fica situada a 5 KM de Arronches, junto à via férrea. O pórtico tem a verga lavrada com motivos geométricos. A fachada é ladeada por dois cunhais de pedra talhada e rematados por pirâmides. Vê-se à esquerda uma pequena sineira. O interior, de uma só nave, apresenta um tecto forrado de tijoleiras ao gosto alentejano, internamente pintada de azul e branco com profusão de motivos florais. Acompanha o meio da nave um arco de volta redonda. Além do altar-mor tem dois altares laterais com arcos pintados e datados de 1870. Em frente do edifício da igreja ergue-se um cruzeiro de granito, cuja base assenta sobre uma coluna, tem esculpidas cabeças de homem. A cruz é de ferro forjado.

Igreja de S. Bartolomeu
Dista 10 km da vila de Arronches, situada entre montados no alto de uma ligeira ondulação do terreno. É um pequeno templo do tipo característico da igreja rural do Alto Alentejo, construído possivelmente nos fins do século XIV ou começo do século XV. Da traça primitiva, de carácter muito arcaico, conserva apenas o portal, de granito, com arco de volta perfeita assente sobre duas colunas com capitéis largos. A pequena sineira, ao centro da fachada, imprime uma relativa importância ao edifício. O interior é de uma só nave e tem capela-mor e dois altares laterais, todos de alvenaria. O púlpito também é de alvenaria, todo caiado abundantemente a branco e azul. Pendem dos altares três lâmpadas de latão do século XVIII. Há um pequeno cruzeiro defronte da igreja. Ao lado existe um recinto fechado, que é o cemitério, tendo como característica profundamente marcada por ciprestes, únicos naquela paisagem típica alentejana.

Igreja de Santo Isidro
Fica situada na margem direita do rio Caia, a 3 Km, su-sudeste de Arronches, detém algumas pinturas nas paredes, encontrando-se totalmente em ruínas.

 

Fonte de Elvas

Fonte de Elvas

 

Actualmente situa-se no jardim junto ao Convento de Nossa Senhora da Luz, mas outrora encontrava-se na parte Sul da Vila num caminho que vai para os montados e assim chamada por estar virada para o lado de Elvas. Construída em mármore branco preserva as características dessa época.

 


 

Fonte do Vassalo

Fonte do Vassalo

 

Brasão da fonte do VassaloUma construção do Séc. XVIII encimada pelo escudo de Portugal, com dois painéis de azulejos retratando cenas da vida agrícola e os lazeres da fidalguia. Construída nos subúrbios da Vila, é de alvenaria e granito no gosto clássico da época.

 


 

Ponte do Crato

Ponte do Crato

 

Atravessa o rio Caia e serve a estrada que vai para o Assumar, data do séc. XV e compõem-se de seis arcos de volta redonda construídos em grossa alvenaria com silhares e aparelhos de granito em blocos talhados.

 


 

Ponte do Porto de Manes

Ponte do Porto de Manes

 

 

 


Ponte de Santa Maria

Fonte e Estátua de Neptuno

Fonte e Estátua de Neptuno

Portais em arco ogival

Portais em arco ogival

Porta na Rua da Figueira

Porta na Rua da Figueira


Fonte de Norton



Atalaia do Baldio de Arronches

Atalaia do Baldio de Arronches

 

 

 


Diversas casas brasonadas

Albufeira da Barragem do Caia